Geraldo Jr

14
dez

TRE-RN ANUNCIA DATA DAS ELEIÇÕES SUPLEMENTARES EM SANTA CRUZ E PASSA E FICA

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte definiu a data das eleições suplementares nos municípios de Santa Cruz e Passa e Fica. Será no dia 03 de fevereiro de 2019, das 8h às 17h.

A data foi disponibilizada pelo Tribunal Superior Eleitoral e acatada hoje por todos os membros da Corte no RN.

O TRE-RN cassou os mandatos da prefeita e vice-prefeito do município de Santa Cruz/RN (16a zona eleitoral), Fernanda da Costa Bezerra e Ivanildo Ferreira Lima Filho, em virtude da prática de abuso de poder político com repercussão econômica nas eleições de 2016.

A Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte também afastou o prefeito e ao vice-prefeito do município de Passa e Fica, na região Agreste potiguar. Leonardo Lisboa (PSD) e o seu vice, Aluízio Almeida de Araújo foram afastados dos cargos por terem cometido os ilícitos de abuso de poder econômico e político durante o pleito eleitoral de 2016. A resolução que trata das eleições suplementares está no  PJe -0601622-74.2018.6.20.0000.

14
dez

NELTER PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE CURSOS QUE SERÃO OFERTADOS PELO IFRN JUCURUTU

O deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) participou nesta quinta-feira (13), na Câmara Municipal de Vereadores de Jucurutu, da primeira audiência pública focada na discussão dos cursos que serão ofertados no campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) no município. De Jucurutu, além da população local, estiveram presentes o prefeito Valdir Medeiros, o vice José Pedro e os vereadores Fagner Brito, Paula Torres, Ioneide Queiroz, Da Guia, Jubiratan Saldanha, Willame Lopes e Francinildo Aquino.

Também presente no evento o reitor do IFRN, Wyllys Tabosa, informou que as obras de reforma e adequação na escola municipal Wagner Lopes de Medeiros, local onde a estrutura do IFRN funcionará provisoriamente, deverão ser concluídas no mês de fevereiro de 2019. Quanto a sede própria e definitiva do Instituto, o reitor afirmou que as obras deverão ser iniciadas e concluídas em 2019.

Entre os profissionais que acompanharam o reitor Wyllys, estavam o professor Agamenon Tavares, pró-reitor de Ensino; professor Alessandro Rolim de Araújo, coordenador do curso técnico de informática do campus Caicó; professor Max Miller da Silveira, coordenador de pesquisa e inovação do campus Caicó e Thiago Loureiro, pró-reitor de extensão.

DESTAQUES

Nelter Queiroz sugeriu que um dos cursos ofertados no campus de Jucurutu seja voltado para área da agricultura. Em sua fala, o parlamentar também relembrou a atuação fundamental do senador José Agripino Maia (DEM) junto ao Ministério da Educação para que o IFRN pudesse ser realidade em Jucurutu.

O deputado também agradeceu o empenho do reitor do IFRN parabenizando toda equipe da instituição. Em reconhecimento ao trabalho de Wyllys Tabosa, Queiroz sugeriu que a Câmara de Vereadores conceda título de cidadão jucurutuense ao reitor.

Ainda em sua fala, Queiroz cumprimentou o jovem empresário Pablo Cassiano, presente na audiência representando a família Cassiano, que realizou a doação do terreno para a edificação do campus do IFRN no município.

VISITAS

Nesta quarta-feira (12) Nelter acompanhou a visita do governador Robinson Faria ao Seridó. Na oportunidade, o parlamentar e o governador visitaram os municípios de Parelhas e Jucurutu, onde entregaram documentos garantindo a inclusão de obras de infraestrutura na segunda etapa do Programa Governo Cidadão.

Para beneficiar Parelhas, as obras incluídas na segunda etapa do Governo Cidadão foram a reforma e ampliação da Escola Estadual Maria Terceira e a pavimentação asfáltica da estrada de acesso ao povoado Santo Antônio, mais conhecido como povoado Cobra. Já para Jucurutu, as obras incluídas no Governo Cidadão foram a construção de anel viário, central do cidadão e conclusão da pavimentação asfáltica da estrada de acesso à Serra de João do Vale.

A inclusão de ambos os pleitos na segunda etapa do Programa Governo Cidadão foram sugestões do deputado Nelter Queiroz atendidas pelo governador Robinson Faria.

14
dez

SEM PATRIMÔNIO, EX-MOTORISTA DE FLÁVIO BOLSONARO FINANCIOU 80% DE IMÓVEL

O ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro, que movimentou 1,2 milhão de reais entre 2016 e 2017, recorreu a um financiamento da Caixa Econômica Federal para acertar a compra do único imóvel que tem em seu nome no Rio de Janeiro. Fabrício José Carlos de Queiroz adquiriu da construtora Nova Engenho um apartamento de 60 metros quadrados no bairro de Taquara, em Jacarepaguá, por 356.000 reais, dos quais 80% foram financiados.

Queiroz teve movimentações financeiras atípicas apontadas em relatório que o Coaf produziu sobre todos os servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Apesar das quantias vultosas que entraram em sua conta, e da renda mensal de 23.000 reais, o ex-assessor dispunha de só 71.000 reais para dar como entrada no imóvel.

A transação era negociada, pelo menos, desde julho deste ano, quando a guia do imposto sobre transmissão de bens foi paga por Queiroz. Ele concluiu a compra no dia 6 de novembro, dois dias antes de a Polícia Federal deflagrar a Operação Furna da Onça, que prendeu dez deputados estaduais acusados de receber um “mensalinho” do Executivo do Rio de Janeiro.

O prédio, que tem apartamentos de dois quartos, piscina, playground e quadra esportiva, ainda não foi entregue aos moradores e em muito difere do casebre onde Queiroz vive até o momento, em uma área menos nobre na mesma vizinhança.

Veja

14
dez

CERCA DE 3 MIL BRASILEIROS INSCRITOS NO MAIS MÉDICOS AINDA NÃO SE APRESENTARAM E PRAZO VENCE HOJE

Cerca de 3.000 candidatos que se inscreveram no programa Mais Médicos ainda não se apresentaram nos municípios para os quais foram alocados. O prazo para que comecem a trabalhar termina nesta sexta (14). Foram abertas no total 8.517 vagas.

CADEIRA 2?

Os dados foram apresentados nesta quinta (13) para a comissão tripartite que acompanha o programa. Ela é composta por representantes dos municípios, dos estados e da União.

SUSPENSE?

Uma segunda questão aflige os gestores: boa parte dos mais de 4.000 médicos brasileiros que já se apresentaram no trabalho pode deixar os cargos a partir de março, quando começam as residências médicas do país.

OBA!?

O alto número de inscritos na primeira etapa do edital aberto para substituir os médicos cubanos chegou a entusiasmar Jair Bolsonaro. Ele chegou a dizer, no Twitter, que “quase 100% das vagas [dos cubanos] já foram preenchidas por brasileiros”.

OPS!?

Até agora, 60% delas foram de fato preenchidas.

Mônica Bergamo

14
dez

MORO DIZ QUE LULA ‘FEZ COISAS BOAS’ E LAMENTA TER CONDENADO O EX-PRESIDENTE

O ex-juiz e futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, disse lamentar o fato de ter sido o autor da sentença que condenou o ex-presidente Lula.

“Da minha parte nada tenho contra o ex-presidente. Acho até lamentável que eu, infelizmente, tenha sido o autor da decisão que condenou uma figura pública que tem a sua popularidade e que fez até coisas boas durante sua gestão, mas também erradas”, afirmou durante entrevista ao apresentador José Luiz Datena no programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes.

“Isso no fundo não é um bônus para mim, é um ônus. Mas o fiz cumprindo o meu dever.”, completou o ex-juiz.

Lula foi condenado por Moro, em julho de 2017, a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

Em janeiro deste ano, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a pena para 12 anos e um mês de detenção. Depois de negados os recursos da defesa, Moro determinou a prisão do petista. Lula se entregou à Polícia Federal em 7 de abril e continua preso na Superintendência da PF, em Curitiba.

A defesa de Lula já entrou com vários de liberdade junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) e STJ (Superior Tribunal de Justiça) alegando atuação política de Moro no julgamento do ex-presidente. Um dos recursos teve análise suspensa pela Segunda Turma do Supremo, no último dia 4, e não tem data para ser retomado

O ex-juiz negou perseguição a um determinado grupo político e afirmou que a Lava Jato atingiu representantes de diferentes partidos.

“Essa alegação de que a Justiça foi parcial nesses casos ignora que por desdobramento da Lava Jato vários outros personagens políticos da oposição também respondem a investigações e acusações sérias perante outros fóruns”.

Moro diz que aceitou o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para assumir a pasta da Justiça com o objetivo de realizar um bom trabalho no combate à corrupção e à violência. E que tal atividade, mesmo com elementos políticos, é diferente da política ligada aos partidos.

“Não me vejo ingressando na política partidária, sem nenhum demérito aos que ingressaram. Na minha visão ainda sou um técnico que está indo para uma posição que tem um encargo político, mas para fazer um trabalho específico”, afirmou Moro.

A entrevista teve tom de conversa entre amigos, com vários elogios de Datena ao futuro ministro. O apresentou se referiu a Moro como um homem “corajoso” e que “não vive um personagem”

FOLHAPRESS

14
dez

EX-MINISTRO DE DILMA SERÁ ASSESSOR ESPECIAL DE PAULO GUEDES

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, aceitou o convite do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e será assessor especial da pasta.

Afif será responsável pelas áreas de empreendedorismo e de desburocratização, simplificação e facilitação de processos para empresas e pessoas.

Essas são pautas defendidas pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que tem repetido que é difícil ser patrão no Brasil.

“Depois de 30 anos, finalmente a gente vai poder ajudar a construir um projeto liberal”, disse Afif à Folha.

Em 1989, quando ele foi candidato à Presidência, Guedes foi um dos responsáveis por seu plano de governo.

Afif foi ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa no governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

Ele já circulava pelo CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), onde funciona o gabinete do governo de transição, mas só aceitou o convite em jantar com Guedes na noite de quarta-feira (12), em Brasília.

Folhapress

13
dez

OPORTUNIDADE DE FICAR RICO: MEGA-SENA ACUMULA E PRÊMIO PODE CHEGAR A R$ 42 MILHÕES

Ninguém acertou os seis números da Mega-Sena sorteada na noite de hoje (12) e o próximo concurso, com o sorteio no sábado, tem uma estimativa de um prêmio de R$ 42 milhões. Os números sorteados foram 03, 27, 36, 39, 40 e 43.

O sorteio do concurso 2.106, realizado em Criciúma (SC), teve 82 apostas ganhadoras na quina, cada uma levando um prêmio de R$ 35,63 mil, e 5.610 apostas ganhadoras na quadra, com prêmios de R$744.

13
dez

CASO COAF É O PRIMEIRO TESTE DA ESTRATÉGIA DE PODER E COMUNICAÇÃO DE BOLSONARO

Por Bruno Boghossian

Passaram-se sete dias desde a revelação de que um assessor de Flávio Bolsonaro movimentou R$ 1,2 milhão em um único ano e deu umcheque de R$ 24 mil à mulher de Jair. De saída, a família julgou que devia poucas explicações, mas o episódio tem potencial para depreciar um dos principais ativos do próximo presidente.

Bolsonaro já demonstrou que pretende governar com o poder das redes sociais, escorado em sua popularidade. Embora pareça uma boa ideia, a estratégia carrega seus riscos. Se o presidente depende de constante aprovação, manchas na imagem também podem drenar sua força.

O silêncio e as explicações dadas pela metade não abafaram o caso. Informações que vieram a público ao longo da semana acentuam as suspeitas de que o gabinete de Flávio na Assembleia do Rio obrigava funcionários a devolverem parte de seus salários —mecanismo conhecido como “pedágio” ou “rachadinha”.

Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio, não conseguiu justificar os depósitos que recebia em sua conta no dia do pagamento dos outros servidores. Também não disse por que sacava o dinheiro logo depois. Não há provas de que os Bolsonaros tenham se beneficiado de alguma ilegalidade, mas as interrogações não ajudam a família.

As suspeitas levantadas são especialmente danosas porque Bolsonaro se elegeu sob a bandeira da rejeição ao sistema e da tolerância zero com a corrupção. A cobrança de pedágio é um dos hábitos mais ordinários da velha política —assim como a contratação de funcionários fantasmas e o recebimento de auxílio-moradia sem necessidade.

O presidente eleito dobrou a aposta nesta quarta (12). Ao fim de uma transmissão no Facebook, disse: “Se algo estiver errado, que paguemos a conta”. Assim, Bolsonaro reforça o exercício do poder em linha direta com seus eleitores, como afirmou em sua diplomação. Se não conseguir apresentar um esclarecimento completo sobre o caso, ele pode conhecer o lado amargo desse plano.

13
dez

ENDIVIDADO, PT SUSPENDE VIAGENS DE DIRIGENTES E REVÊ CONTRATOS DE ALUGUEL

Painel / FOLHA SP

Apertando o cinto Asfixiada por dívida superior a R$ 4 milhões após a campanha eleitoral, a direção do PT decidiu tomar medidas para equilibrar suas finanças. Viagens de funcionários e dirigentes serão suspensas até janeiro. A folha de pagamento do diretório nacional será revista, assim como aluguéis e contratos com prestadores de serviços. “As reservas financeiras mantidas pelo PT esgotaram-se”, diz comunicado assinado pela presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, e pelo tesoureiro, Emídio de Souza.

Pires na mão Os petistas dizem que o dinheiro do Fundo Partidário, que deve render R$ 93 milhões para a legenda no próximo ano, é insuficiente para seus compromissos. Eles planejam lançar uma campanha de arrecadação na internet e pedir contribuições a parlamentares e filiados.

Passando a limpo Os dirigentes também prometem apresentar em breve à executiva nacional novas regras para controle interno, incluindo um sistema de conformidade nos moldes dos que têm sido adotados por empresas para inibir a prática de corrupção.

Com juros Outra preocupação dos petistas são as ações que enfrentam na Justiça. A Procuradoria-Geral da República pede a devolução de R$ 19 milhões do Fundo Eleitoral gastos no período em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva manteve registro como candidato mesmo preso.

13
dez

PREFEITURA DE CURRAIS NOVOS PAGA 2ª PARCELA DO 13º SALÁRIO NESTA SEXTA-FEIRA, 14

A Prefeitura Municipal de Currais Novos paga nesta sexta-feira, 14, a segunda parcela do 13º Salário dos Servidores Municipais, tendo a primeira sido paga no mês de julho. De acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento e Finanças (SEMFIN), o valor total da folha desta segunda parcela é de R$ 1.100.723,81 (Um milhão, cem mil, setecentos e vinte e três reais e oitenta e um centavos).

Em Julho, o valor total da folha da primeira parcela foi de R$1.252.729,13 (Um milhão, duzentos e cinquenta e dois mil, setecentos e vinte e nove reais, e treze centavos). No total, o valor da folha do 13º Salário da Prefeitura de Currais Novos é de R$ 2.353.452,94 (Dois milhões, trezentos e cinquenta e três mil, quatrocentos e cinquenta e dois reais e noventa e quatro centavos).

13
dez

UNIDADES ESCOLARES DA ZONA RURAL DE CURRAIS NOVOS ESTÃO SENDO REFORMADAS

As 9 Unidades Escolares da Zona Rural de Currais Novos estão sendo reformadas para melhor atender a comunidade escolar de diversos povoados do município e, assim, fortalecer o desenvolvimento das atividades e projetos importantes para centenas de alunos, obras estas realizadas pelo Centro Municipal de Ensino Rural.

Na manhã desta quarta-feira, 12, o Prefeito Odon Jr, acompanhado dos secretários Jorian Pereira (Educação) e Rodolfo Lucena (Gabinete), visitaram a Unidade Escolar da Comunidade Jurupaiti, e conversaram com a equipe da escola, que realiza na noite de hoje a reinauguração da unidade. Foram realizados serviços como ampliação da cozinha, recuperação dos banheiros, forro de gesso nas salas, melhorias na cisterna, pintura interna e externa, e recuperação do telhado.

“Estas reformas são de grande importância para nossas Escolas Rurais pois possibilita o avanço em diversas atividades e melhores condições de trabalho e ensino para nossos alunos”, comentou o Prefeito Odon Jr. As Unidades do Maxinaré e Malhada da Areia também estão com as obras de reforma adiantadas. De acordo com o Secretário Jorian Pereira, em janeiro de 2019 terá início a reforma das outras Unidades.

13
dez

BOLSONARO DIZ QUE É PRECISO AFROUXAR LEI TRABALHISTA, APROXIMAR ELA DA INFORMALIDADE E MAIS UMA VEZ DIZ QUE SE SEU GOVERNO DER ERRADO, O PT VOLTA AO PODER

Em reunião fechada com deputados do DEM, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, defendeu mudanças nas leis trabalhistas para que elas se aproximem da “informalidade”.

“No que for possível, sei que está engessado o artigo sétimo [da Constituição], mas tem que se aproximar da informalidade”, disse o presidente eleito em reunião com deputados do DEM nesta quarta-feira (12), em Brasília.

Bolsonaro voltou a dizer que é muito difícil ser empresário. “Ser patrão no Brasil é um tormento”, afirmou.

As declarações do presidente constam em vídeo publicado no Facebook do deputado federal Francisco Floriano (DEM-RJ), que transmitiu parte do encontro ao vivo.

Bolsonaro disse ainda que, se tiver clima, vai “resolver o problema” do Ministério Público do Trabalho.

“O Ministério Público do Trabalho, por favor, se tiver clima, a gente resolve esse problema. Não dá mais para continuar quem produz sendo vítima de uma minoria, mas uma minoria atuante”, disse.

O presidente eleito criticou o órgão por não ter hierarquia, comparando com a estrutura militar: “cada um faz o que bem entende”.

Eleito com discurso de liberal na economia, sob a tutela de Paulo Guedes, que será ministro da Economia, Bolsonaro promete fazer reformas estruturantes a partir de 2019, entre elas, uma nova revisão da lei trabalhista.

Em seus discursos, ele tem dito de forma genérica que pretende fazer novas flexibilizações porque o empresário é desestimulado no Brasil devido ao ‘excesso’ de direitos dos trabalhadores.

Em suas declarações sobre o tema, diz que seu governo pretende rever os pontos que não interferirem no artigo 7º da Constituição, que trata de direitos como a previsão do pagamento de 13º salário, férias, salário mínimo, entre outros pontos.

Bolsonaro faz a ressalva após polêmica durante a campanha presidencial envolvendo o 13° salário.

Em encontro com empresários, seu vice, o general Hamilton Mourão, criticou o 13º salário, afirmando que se tratava de uma “jabuticaba”.

Para desfazer o mal-estar, Bolsonaro negou que isso pudesse ser feito e, ainda durante a corrida eleitoral, prometeu criar o 13° salário para os beneficiários do programa Bolsa Família.

Ainda no vídeo, Bolsonaro cita o empresário Luciano Hang, dono da varejista Havan, um de seus principais apoiadores.

Hang é alvo de um pedido da Procuradoria do Trabalho de Santa Catarina, que solicitou a aplicação de uma multa de R$ 100 milhões a ele por ter tentado influenciar os votos de seus funcionários.

“Luciano Hang da Havan, de Santa Catarina, está com uma multa de 100 milhões de reais porque ele teria aliciado, obrigado os funcionários a votar em mim”, diz, em tom crítico.

O presidente eleito diz que, com as críticas ao MP do Trabalho, não quer o fim da fiscalização.

“Nós queremos que tenha fiscalização, sim, mas nós queremos que chegue no órgão fiscalizado e a pessoa seja atendida como amiga”, disse.

Embora Bolsonaro fale em rever as leis trabalhistas, até agora sua equipe econômica não definiu que modificações fará na legislação atual.

Ele excluiu o status de ministério da pasta do Trabalho e dividiu suas atribuições entre Economia, Cidadania e Justiça.

O governo de Michel Temer conseguiu aprovar no Congresso projetos que representam bandeiras históricas do empresariado e que mexeram na legislação trabalhista, em especial a reforma trabalhista e a liberação da terceirização mesmo da atividade principal das empresas.

A reforma trabalhista alterou mais de 100 pontos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), o conjunto de normas que rege as relações de trabalho e que foi editado em 1943, durante o Estado Novo de Getúlio Vargas. Entre as mudanças, a de que acordos coletivos podem prevalecer sobre a legislação em vários casos, a instituição do trabalho intermitente e a limitação do acesso gratuito do trabalhador à Justiça do Trabalho.

Bolsonaro também comentou medidas relativas a terras indígenas e quilombolas.

“Não demarcarei um centímetro a mais de terra indígena. Ponto final”, disse, sob aplausos.

“Não tem mais terra para quilombola também, acabou. Não vou entrar em detalhes, mas isso tem a ver com segurança jurídica no campo”, afirmou o eleito.

Falando sobre a vida do produtor rural, Bolsonaro disse que “você quer derrubar uma árvore, quer fazer uma coisa legal, é quase impossível, depende de licenças ambientais. Esse problema a gente vai deixar de lado”.

No encontro com o DEM, ele repetiu o que havia falado na semana anterior a outras bancadas, com quem se reuniu, como MDB, PRB, PR e PSDB.

Bolsonaro voltou a pedir apoio argumento que, se seu governo der errado, o PT volta ao poder.

“A gente enfrenta esses caras desde 1922, esse tipo de filosofia. Eles hibernam, esperam o momento adequado para voltar das cinzas muitas vezes, onde estão agora”, discursou.
“Não é que eu quero eliminar o PT. Quero botar o PT no seu devido lugar pelo voto.”

Folhapress

13
dez

GOVERNADORES ELEITOS PEDEM A MORO LIBERAÇÃO DE RECURSOS PARA PRESÍDIOS

Em crise financeira e sem capacidade para investir na segurança pública, governadores eleitos se reuniram nesta quarta-feira, 12, com o futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, e pediram a ele que os recursos do Fundo Penitenciário (Funpen) sejam automaticamente repassados aos Estados. Hoje o dinheiro é liberado apenas após a aprovação de um projeto apresentado pelos governos estaduais.

Segundo o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), a distribuição dos recursos seria feita de acordo com a população carcerária. O repasse seria maior para onde há maior concentração de presos.

A transferência automática é um dos seis pontos fundamentais apresentados pelos governadores na reunião com Moro e os presidentes das cortes superiores do Judiciário. A justificativa dos governadores eleitos é que o dinheiro do Funpen poderia ser usado na construção de novas unidades prisionais ou na revitalização das atuais.

Em entrevista após o encontro, Ibaneis e os governadores eleitos de São Paulo, João Doria (PSDB), e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), não souberam dizer se o futuro governo Bolsonaro concorda com o repasse.

“Dos governadores, respondo pelo meu Estado e a destinação vai ser usada do modo correto. Não há a menor possibilidade de esse recurso ser usado para custeio”, afirmou Doria.

Estadão Conteúdo

13
dez

‘SE TIVER ALGO ERRADO, QUE PAGUEMOS A CONTA’, DIZ BOLSONARO, SOBRE EX-ASSESSOR DO FILHO FLÁVIO

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), admitiu na noite desta quarta-feira que está disposto “a pagar a conta” caso a investigação aponte irregularidade na movimentação de R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017 de Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-assessor de seu filho Flávio Bolsonaro. Bolsonaro disse que o caso “dói no coração”, porque, segundo ele, “o que tem de mais firme (em seu projeto de governo) é o combate à corrupção”.

– Se algo estiver errado, comigo, meu filho ou o Queiroz, que paguemos a conta desse erro. Não podemos comungar com erro de ninguém – disse Bolsonaro, em um pronunciamento ao vivo pello Facebook, que druou 16 minutos.

Queiroz é citado em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) anexado à Operação Furna da Onça, que prendeu deputados estaduais do Rio. O volume de recursos movimentados em sua conta bancário foi considerado atípico. Entre as movimentações que constam do relatório está um cheque de R$ 24 mil pagos à nova primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Na transmissão no Facebook, o presidente eleito, no entanto, reafirmou que nem ele, nem o filho ou o assessor são investigados. Bolsonaro disse que Queiroz será ouvido na próxima semana. O Ministério Público do Rio de Janeiro está investigando o caso após a divulgação do relatório do Coaf, que identificou a movimentação atípica na conta do ex-assessor do deputado estadual Flávio, filho do presidente e senador eleito.

– Dói no coração da gente? Dói. O que temos de mais firme é o combate à corrupção – disse.

Bolsonaro só falou sobre o Coaf ao final da transmissão e classificou a investigação como “um problema pela frente.” O presidente eleito, no entanto, disse que ele e o filho não são investigados. E afirmou que o ex-assessor esclareça a movimentação na próxima semana, quando for ouvido pela Justiça.

O Globo

11
dez

FÁTIMA ANUNCIA VIRGÍNIA FERREIRA PARA A ADMINISTRAÇÃO

A governadora eleita do Rio Grande do Norte, senadora Fátima Bezerra, escolheu a economista Virgínia Ferreira para a Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos do seu governo. Ela destacou que a experiência e reconhecida competência técnica da futura auxiliar serão importantes para que o governo atinja as metas de controle nos gastos públicos, modernização da gestão, contenção de despesas e de valorização dos servidores.

Virgínia Ferreira agradeceu a confiança da governadora eleita e assinalou que entre os desafios da Secretaria está o de assegurar um plano de ações dentro de uma perspectiva de economicidade, sustentabilidade e de deliberar a desburocratização dos serviços públicos. “Implementaremos uma política eficiente na gestão dos recursos humanos e materiais, como também patrimoniais e tecnológicos do estado. Precisamos trabalhar com inteligência, sagacidade e determinação para que o governo possa prestar um serviço público de qualidade, valorizar e qualificar permanentemente o servidor, aproximá-los da gestão, otimizar os gastos públicos e retomar a credibilidade do Governo do Estado”, disse Virgínia Ferreira.

Perfil

Maria Virgínia Ferreira Lopes é formada em Economia pela UFRN. Especialista em Planejamento e Orçamento e na área de Projetos Econômicos e Sociais, trabalhou no Dieese, onde ocupou a função de supervisora técnica. É funcionária de carreira da administração indireta – Datanorte – do Estado do Rio Grande do Norte. Foi presidente do Conselho Regional de Economia e do Sindicato dos Economistas do RN. Secretária de Planejamento da Prefeitura de Natal de 2005 a 2008 e de 2013 a 2016, comandou também a pasta de Meio Ambiente e Urbanismo do município e atualmente ocupa o cargo de Secretária de Planejamento da Prefeitura do Natal. Foi Coordenadora do Observatório do Trabalho do Rio Grande do Norte de 2009 a 2012.

11
dez

HEMONORTE É REFERÊNCIA NACIONAL NA PRODUÇÃO DE PLAQUETAS

O Hemocentro do RN tornou-se referência nacionalmente, na produção de plaquetas pelo Sistema Reveos.  Lançado recentemente no Brasil, o Hemonorte é o primeiro Hemocentro  público que possui este sistema instalado e funcionando em rotina.  A implantação dessa nova metodologia de trabalho representa  um avanço tecnológico e garante à população do Estado hemocomponentes  de qualidade e com alto padrão de segurança.
 A eficiência do Reveos na produção de plaquetas foi tema de um trabalho apresentado, pela Bioquímica do Hemonorte, MichelleCunha, no  Congresso Brasileiro de Hematologia , Hemoterapia e Terapia Celular, que aconteceu em São Paulo, no início de novembro.
Para corroborar a eficiência do sistema, a bioquímica realizou  uma análise comparativa entre os concentrados de plaquetas desleucocitados processados através da técnica de  Aférese, Pool de Buffy Coat e pool de plaquetas  obtidas pelo sistema Reveos, produzidos  atualmente no Hemonorte.
A comparação entre as três técnicas mostrou que não houve diferença estatística em relação a contagem de plaquetas e que todas elas apresentaram contagens acima da exigido pela legislação ( >3,0 x 10¹¹/unidade). Tal dado representa que esses produtos são equivalentes ás plaquetas obtidas por 7 a 10 doadores através da metodologia tradicional.
Todas as técnicas apresentaram contagem residual de leucócitos bem menores que o valor mínimo exigido, que é de 5,0 x106 /unidade ( conceito de produto desleucocitado). Os produtos desleucocitados são importantes  porque diminuem os riscos de reações tansfusionais e transmissão de vírus presentes nos leucócitos, garantindo assim, mais segurança ao paciente.
         Além disso, observou-se que o processo de produção através do sistema Reveos se realiza em menos tempo,  usando um  número menor de equipamentos, o que otimiza o trabalho do setor de processamento. De acordo com a Michelle Cunha,  ”o sistema Reveos   integra as etapas manuais do processamento de sangue total: do início ao fim, do sangue total ao concentrado de plaquetas. Ele otimiza o tempo de operação na produção de hemocomponentes e amplia o portfólio de produtos do Hemonorte”.
O Hemonorte vem recebendo visitas técnicas de Hemocentros de outros Estados para conhecer o Sistema Reveos. Recentemente, o Hemocentro recebeu a visita  do Hemocentro do  Paraná (HEMEPAR), representado pelo Diretor Geral da Unidade, Paulo Hatschbach e  a Gerente de Produção de Hemocomponentes, Anália Machado e da responsável pelo setor de Controle da Qualidade, Vivian Bertelli. Outra visita foi do Hemocentro de Roraima ( HEMORIMA), Louice Gadelha, Chefe de Divisão de Fracionamento, Louice Gadelha.

 

11
dez

PREFEITURA DE CURRAIS NOVOS INAUGUROU PRAÇA “AMADEU VENÂNCIO” NESTA SEGUNDA-FEIRA, 10

A Prefeitura Municipal de Currais Novos entregou à população curraisnovense na tarde desta segunda-feira, 10, a Praça “Amadeu Venâncio”, mais uma importante obra construída com recursos próprios e que irá beneficiar moradores de diversos bairros. Localizada atrás do Ginásio “Geraldão”, a praça foi idealiza pela gestão municipal para servir como um novo ambiente para caminhadas, atividades físicas, diversão para crianças e jovens, eventos culturais, e como um espaço de alimentação. A estrutura da Praça também conta com uma parada de taxi.

O Prefeito Odon Jr, o Vice-Prefeito Anderson Alves, secretários municipais, Vereadores, familiares de Sr. Amadeu, e moradores próximos à nova praça, prestigiaram a solenidade.

“Parabenizo aqui o trabalho de todas as secretarias que se empenharam na execução desse projeto e a Secretaria de Infraestrutura que executou a obra”, comentou o Prefeito Odon Jr, que também agradeceu à presença da família de Sr. Amadeu, como a esposa D. Almira e filhos. O homenageado foi um importante comerciante curraisnovense que atuou em diversos ramos como armazém de alimentos, Fábrica de Sabão, Concessionária de Veículos, Posto de Combustível, e foi sócio fundador do Lions Clube, Aero Clube e do Clube Caça e Pesca. O projeto de lei que denomina a praça é de autoria da Vereadora Zefinha Moura. Alunos do SCFV Projeto “AABB Comunidade” realizaram apresentações culturais durante o evento.

GINÁSTICA

O Projeto “Qualidade de Vida” do NASF/Secretaria Municipal de Saúde irá realizar aulas de dança e ginástica na Praça “Amadeu Venâncio” de segunda à quinta-feira entre 17h30 e 18h30 com o Professor Audenício.

11
dez

DELAÇÃO JBS: PF CUMPRE NO RIO MANDADOS EM IMÓVEIS DE AÉCIO NEVES E TAMBÉM EM MG, BRASÍLIA, BAHIA E RIO GRANDE DO NORTE

Equipes da Polícia Federal e do Ministério Público cumprem, na manhã desta terça-feira (11), mandados de busca e apreensão em imóveis no Rio de Aécio Neves (PSDB) e da irmã dele, Andréa Neves.

Agentes estão em prédio de luxo na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, onde o senador e deputado federal eleito tem residência. Equipe também está em um imóvel em Copacabana, que seria de Andréa.

A procura de documentos faz parte de operação baseada em delações de Joesley Batista e Ricardo Saud. Os executivos do grupo J&F relataram repasse de propina de quase R$ 110 milhões ao senador Aécio Neves.

Outros alvos desta operação é Paulo Pereira da Silva, Paulinho da Força, presidente nacional do partido Solidariedade, a deputada federal Cristiane Brasil (PDT/RJ) e empresários que emitiram notas fiscais frias para Aécio.

A operação no Rio é braço de investida que ocorre em São Paulo (capital e interior), Minas Gerais, Brasília, Bahia e Rio Grande do Norte e decorre do inquérito 4519, que tem como relator no Supremo Tribunal Federal, o ministro Marco Aurélio.

Segundo a PF, o senador Aécio Neves comprou apoio político do Solidariedade, por R$ 15 milhões, e empresários paulistas ajudaram com doações de campanha e caixa 2, por meio de notas frias.

G1

11
dez

SAQUES DE EX-AUXILIAR DE FLÁVIO BOLSONARO OCORRIAM APÓS DEPÓSITOS DE VALOR SIMILAR E VÁRIOS DE VALORES MENORES NO MESMO DIA

Os maiores saques feitos em 2016 pelo policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), foram precedidos, geralmente na véspera, de depósito de valores de mesmo patamar.

Essa movimentação é característica de uma conta de passagem, na qual o real destinatário do valor creditado não é o seu titular. O uso de dinheiro em espécie nas duas pontas da operação reforça esse indício.

Queiroz foi citado num relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) como tendo apresentado uma movimentação financeira atípica de R$ 1,2 milhão em 2016. O alerta se deve tanto ao volume como à forma com que as transações foram feitas. O documento, contudo, não é o suficiente para apontar algum ato ilegal.

O Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou uma investigação criminal sigilosa com base no relatório, que cita membros do gabinete de 22 deputados estaduais –entre eles Flávio Bolsonaro.

Do total movimentado, R$ 324,8 mil se referem a saques e R$ 216,5 mil a depósitos em espécie –os demais valores são transferências identificadas, entre outras operações.

Dos 176 saques realizados pelo policial militar naquele ano, 50 foram de valores acima de R$ 2.000. Apenas um, contudo, superou os R$ 10 mil, no qual a comunicação ao Coaf é automática.

Na maioria desses casos, o saque foi precedido de um depósito em espécie de valor em patamar semelhante. Nenhum, contudo, acima dos R$ 10 mil.

Nos dias 16 e 17 de fevereiro, por exemplo, Queiroz fez três saques de R$ 5.000 cada um, totalizando R$ 15 mil. O movimento foi acompanhado de cinco depósitos em espécie feitos em sua conta entre os dias 15 e 17 de fevereiro, que somam R$ 15,3 mil.

Movimento sincronizado também ocorreu em junho, quando nos dias 14 e 15 ele fez dois saques de R$ 5.000, tendo recebido no mesmo período em depósito de dinheiro vivo R$ 13,2 mil.

A ocorrência desses saques maiores mantém como padrão o fato de ocorrerem poucos dias após depósito em espécie de patamar semelhante. Em 35 dos 50 casos de retiradas acima de R$ 2.000, depósito acima do mesmo valor ocorreu até um dia antes –algumas vezes, no mesmo dia. Ampliando o intervalo entre o depósito e o saque para três dias, a sincronia se repete em 40 dos 50 maiores saques de Queiroz.

A correlação entre depósitos em dinheiro vivo e saque imediato também fica evidenciado em dezembro, quando o total sacado aumenta muito, assim como a entrada de dinheiro vivo.

No último mês do ano, por 12 vezes ele fez retiradas de dinheiro vivo acima de R$ 2.000, num total de R$ 58 mil. O volume de entrada também cresce e alcança R$ 41,6 mil distribuído em oito depósitos em espécie.

Procuradores, policiais federais e auditores fiscais afirmam que o uso de dinheiro vivo em transações bancárias costuma ter como objetivo ocultar o destinatário ou remetente dos recursos. A prática dificulta a identificação dos responsáveis pelas transações.

Uma das hipóteses já levantadas é de que o policial militar fosse o responsável por recolher uma parcela dos salários de assessores do gabinete de Flávio Bolsonaro –sete aparecem no relatório transferindo recursos a Queiroz.

Essa é uma prática comum no Legislativo, embora ilegal. Os recursos arrecadados podem tanto servir para campanhas políticas como para entrega ao titular do gabinete, entre outras possibilidades.

Não há até o momento, contudo, qualquer indício sobre o destino do dinheiro sacado por Queiroz. O relatório do Queiroz não foi localizado para comentar as informações do relatório. Flávio Bolsonaro afirmou que o ex-assessor lhe deu explicações plausíveis que deverão ser dadas ao Ministério Público Federal quando convocado.

FOLHAPRESS

11
dez

DELATORES DA OPERAÇÃO LAVA JATO DEIXAM DE PAGAR R$ 422 MI EM MULTAS

Delatores da Operação Lava Jato que tiveram acordos homologados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) atrasaram o pagamento de um terço do valor das multas. De R$ 1,3 bilhão de multas previstas nos acordos, R$ 422,9 milhões já venceram e não foram pagas. Há ainda R$ 277,6 milhões a serem quitados, mas que estão dentro do prazo de vencimento.

Quem fecha um acordo de delação tem o compromisso de relatar o que conhece de esquemas criminosos, bem como apresentar provas ou indicar outros testemunhos que possam corroborar suas afirmações. Isso não o livra de punição, que pode ser prisão ou pagamento de multa – ou os dois juntos. O valor dessa multa é calculado com base nos crimes assumidos pelos delatores.

No total, a Procuradoria-Geral da República fechou acordo com 170 delatores no âmbito da Lava Jato, mas a instituição não informou até a conclusão desta edição o total de inadimplentes, nem quais providências estão em estudo para esses casos. Em tese, a PGR pode pedir bloqueio ou sequestro de bens, a regressão de regime e até mesmo cassar benefício dos delatores inadimplentes.

Os valores não pagos foram extraídos de uma ferramenta desenvolvida pelo grupo de trabalho da Lava Jato na PGR, com o objetivo de acompanhar o cumprimento dos acordos de colaboração. O sistema, oficializado pela instituição nesta segunda-feira, 10, reúne dados como as penas privativas de liberdade ajustadas no acordo, a situação de cada delator e informações processuais e patrimoniais relativas ao pagamento das obrigações previstas nos acordos.

Desde março de 2014, início da Lava Jato, os delatores já pagaram R$ 684,7 milhões em multas, além de R$ 163,6 milhões a título de “perdimento de bens e valores”, como confisco de veículos e imóveis. Deste total, no entanto, apenas R$ 280,7 milhões foram efetivamente devolvidos aos cofres públicos. O restante ainda aguarda medida administrativa para ser encaminhado aos órgãos públicos de onde o recurso foi desviado.

“A punição consiste em reparar o dano. Na minha gestão, tenho exigido bastante clareza. Não é mérito nenhum de ele (colaborador) entregar, é dever. Reparar o dano é dever. A clareza em relação a isso é importante para dar noção de nossa eficiência”, disse a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Presente na apresentação do novo sistema, o ministro da Transparência e Controladoria-Geral da República, Wagner do Rosário, afirmou que as perspectivas de continuidade do combate à corrupção no País “são muito boas”.

“Estamos aqui para absorver conhecimentos e tentar criar mecanismos que evitem que isso aconteça novamente. Mais que do que punir, é (importante) evitar que isso aconteça novamente, porque sabemos da dificuldade que é recuperar os recursos”, afirmou ele, que vai seguir à frente da pasta no governo Jair Bolsonaro.

ESTADÃO CONTEÚDO

Page 1 of 703