SOB CRÍTICA DE OLAVO DE CARVALHO, CORONEL QUE É ASSESSOR DA EDUCAÇÃO SERÁ AFASTADO DO GOVERNO

11
mar

Em conversa com o ministro da Educação Ricardo Vélez-Rodriguez na manhã de domingo, o presidente Jair Bolsonaro determinou o afastamento do coronel Ricardo Wagner Roquetti, atual diretor de programa da Secretaria Executiva do MEC. Roquetti era o principal assessor do ministro e envolveu-se em disputas com alunos do ideólogo do governo Olavo de Carvalho , lotados no Ministério da Educação .

Sua exoneração deve ser publicada ao longo da semana. A informação foi confirmada pelo próprio Roquetti.

— O presidente pediu meu afastamento hoje (ontem) em conversa pessoal com o ministro. A exoneração deve ocorrer durante a semana, pois é um ato administrativo burocrático que leva tempo — disse Roquetti.

Ex-aluno de Olavo de Carvalho, o coronel-aviador Ricardo Roquetti foi acolhido no núcleo do governo depois de ser apresentado pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). Passou, então, a conviver com o recém-nomeado ministro Ricardo Vélez Rodriguez. Em pouco tempo, Vélez viu em Roquetti seu aliado mais fiel. Enquanto a equipe de transição do novo governo trabalhava no CCBB num plano de educação para o governo Bolsonaro, Vélez se reunia com Roquetti em outro local.

Nas últimas semanas, Roquetti promoveu mudanças na equipe do ministério, rebaixando funcionários ligados a Olavo de Carvalho. A atitude causou revolta no ideólogo, que usou as redes para pressionar pela saída do coronel. Olavo chegou a se referir a Roquetti como o “Bebianno de Vélez”, em referência ao ex-chefe da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno, demitido por Bolsonaro no início de fevereiro.

Olavo também culpa o coronel pelo episódio da carta enviada pelo MEC às escolas municipais, em que o ministro pedia aos diretores imagens das crianças cantando o hino, além de encerrar a correspondência com o slogan de campanha de Jair Bolsonaro, o que é proibido por lei. Depois de críticas, o ministério recuou do pedido.

O GLOBO