LAVA JATO DESCOBRIU “NOVA VERTENTE” DE CORRUPÇÃO NA PETROBRAS

5
dez

A Operação Sem Limites é resultado do aprofundamento das investigações decorrentes da 44ª fase. Segundo o MPF, trata-se de uma “nova vertente de apuração em franca expansão”.

Como dissemos antes, a investigação mira num primeiro momento as empresas Trafigura, Glencore e Vitol, ‘trading companies’ que comercializam de “modo maciço e recorrente” com a Petrobras no mercado internacional.

Só a Trafigura, entre 2004 e 2015, realizou cerca de 966 operações comerciais com a Petrobras, as quais totalizaram o valor de aproximado de US$ 8,7 bilhões.

Para a procuradora da República Jerusa Burmann Viecili, integrante da força-tarefa Lava Jato, “as operações da área comercial da Petrobras no mercado internacional constituem um ambiente propício para o surgimento e pulverização de esquemas de corrupção, já que o volume negociado é muito grande e poucos centavos a mais, nas negociações diárias, podem render milhões de dólares ao final do mês em propina”.

O procurador da República Athayde Ribeiro Costa também ressalta que “trata-se de esquema criminoso praticado ao longo de anos, com envolvimento de empresas gigantes de atuação internacional, parte delas com faturamento maior que o da própria Petrobras”.

O Antagonista