QUEM GANHOU E QUEM PERDEU NA ELEIÇÃO DESTE ANO EM CURRAIS NOVOS

10
out

GANHOU…

Anderson Alves – O vice-prefeito de Odon Jr sai do pleito mais fortalecido com os mais de 5 mil votos obtidos de forma espontânea e se credencia para ser peça fundamental nas próximas discursões políticas daqui pra frente no município.

A juventude e o destemor de enfrentar o julgamento popular fez de Anderson Alves uma jovem promessa que em futuros bem próximo deverá se consolidar, isso se souber com muita perspicácia conduzir todos os desdobramentos que virão pela frente.

Apoiadores do Genaral Girão – O general obteve expressiva votação no município, praticamente empatado com José Agripino, isso mostra que o novo prevaleceu sobre o velho.

Solange – A agente de saúde provou que é boa de urna e conseguiu grande votação para deputado estadual, mesmo contando com uma estrutura mínima de campanha e sem apoios de nenhuma liderança do município. Nas próximas eleições o PSOL já tem credenciamentos para conseguir uma cadeira na Câmara Municipal.

Odon Jr. – Mesmo apoiando um candidato desconhecido de todo mundo na cidade, o que pra mim foi um erro, o prefeito mostrou força e determinação dando uma votação de mais de 2 mil votos a Caramuru Paiva e também mais de 2 mil votos a Francisco do PT. Isso mostra que a administração tá no caminho certo e que a população sabe reconhecer o trabalho desenvolvido no município.

Ezequiel Ferreira – O deputado presidente da Assembleia Legislativa do RN mostrou poderio e conseguiu a sua maior votação do estado. Só lembrando que na eleição passada Ezequiel teve votação maiores que em Currais Novos em várias cidade do estado, este ano o trabalho da equipe surtiu efeito fazende dele o campeão de votos no município.

Rafael Mota – Os apoiadores do filho de Ricardo Mota, antes tido como apenas coadjuvante, conseguiram dá boa votação a ele o que lhe fez o quinto mais vtado no município. A votação de Rafael Mota no estado acabou beneficiando Fábio Faria que só conseguiu a vaga devido ao coeficiente eleitoral.

PERDEU…

José Agripino – Político de longas datas, sempre acompanhado de votações expressivas, José Agripino que em Currais Novos teve apoio de todo o grupo político de Geraldo Gomes, viu sua votação mingua e para piorar a situação deixando ele fora das oitos vagas na Câmara Federal em 2019. Com pouco mais de mil votos, diante de todo o poderia político e econômico, Já Já foi soterrado politicamente, isso mostra a indignação da população com a política tradicional do nosso estado. Agripino pela primeira vez ficará sem um mandato política depois de mais de 40 anos.

Carlson Gomes – Uma de confiança do agripinismo e secretário de Carlos Eduardo viu seu poderia de votos se diluir ao longo do tempo e não conseguiu emplacar boa votação a nenhum de seus candidatos. Agripino e Carlos Eduardo foram engolidos pelos candidatos do PT e que defendiam a bandeira de Jair Bolsonaro.

Zé Lins – A grande perda nesta eleição, o ex-prefeito Zé Lins amargou, poderíamos dizer assim, a maior derrota do pleito no município. Mesmo sendo dono de um carisma impressionante, mas apoiando um candidato que não tem origens no Seridó, Zé Lins não teve participação tão ativa no pleito como de outras vezes e desta vez viu seus candidatos amargarem pequenas votações. Zé precisa se reerguer e começar do zero para poder voltar a dá as cartas no município como foi em tempos não tão distantes.

Garibaldi Filho – Conhecido como o senador de 1 milhão de votos, Gari viu todo este potencial ir por terra nas eleições deste ano, perdeu até para Geraldo Melo ficando na quarta colocação no quadro final da eleição e de sobra perdendo a vaga e consequentemente ficando sem mandado, coisa que não acontecia deste 19970 quando ingressara na vida pública.

Governador Robinson Faria – Mesmo com os muitos cargos comissionados distribuídos a seus apadrinhados no município, contanto com a apoio do presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira e várias outras lideranças políticas da cidade, Robinson amargou o maior vexame político no município obtendo pouco mais de 700 votos, uma vergonha para quem está no governo e tem o poder da caneta na mão. Acredito que foi o pior desempenho de um governante na cidade, pelo ao menos eu não lembro de outro que tenha batido esta marca. Robinson vai sair do governo do tamanho de sua gestão.

Estas são apenas algumas análises feita por mim, nada científico, mas olhando para os resultados das urnas em Currais Novos, poderá, inclusive, serem contestadas por muitos, faz parte do jogo democrático, não vou discordar de ninguém, não sou de entrar em polêmicas. Alguns outros candidatos foram melhores ou piores, mas levei em consideração os apoios e a circunstância da cada uma candidatura. O futuro a Deus pertence e poderá ter tantos outros desdobramentos que aqui não foram relatados, normal para um ambiente em constante mutação como é o ambiente da política no nosso estado.