ALTA DO DÓLAR DESESTABILIZA CÂMBIO E GERA TURBULÊNCIA EM MERCADOS EMERGENTES

16
maio

A contínua apreciação do dólar e o temor de desaceleração na China provocaram turbulência em mercados emergentes, que se manifestaram em quedas nas Bolsas de Valores e depreciação do câmbio. A cotação da moeda americana foi impulsionada pela alta dos rendimentos dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA, que alcançaram o maior patamar desde 2011.

O dólar registrou nesta terça-feira, 15, uma alta de 1,96% em relação ao rand sul-africano. Em relação à lira turca, o aumento foi de 1,81%. O dólar também avançou 1,29% no Chile e 0,99% no Brasil, onde fechou em R$ 3,66. A Argentina foi o único emergente a registrar ganho no câmbio.

Depois de se desvalorizar ao longo de 2017 e início de 2018, o dólar ganhou força a partir de março, o que aumentou o valor, em moeda local, das dívidas contraídas pelos setores público e privado dos mercados emergentes. A rápida valorização pode ter um efeito desestabilizador, dada a relevância do câmbio para grande parte desses países.

Retornos mais elevados dos títulos do Tesouro dos EUA também aumentam o estresse sobre os emergentes, já que funcionam como um fator de atração de capital, ao elevar o retorno sobre o que é considerado o investimento mais seguro do planeta. Nesta terça-feira, 15, o rendimento desses papéis chegou a 3,09%, superando a barreira psicológica de 3% que dispara alarmes nos mercados.

ESTADÃO