Geraldo Júnior

QUANDO EMPREGAR O PRONOME “CUJO”? (PARTE I)

Eis mais uma situação de cuidadoso emprego na Língua Portuguesa! Ao empregar o pronome RELATIVO “CUJO”, você deve observar a ideia de POSSE que ele transmite.

Além disso, verificar que ele faz referência ao termo ANTECEDENTE, mas concorda em gênero e em número com o termo que vem DEPOIS. Assim: A casa CUJO endereço é desconhecido era de Maria.

Veja que o ANTECEDENTE é o termo “A casa” [feminino singular] e o que vem depois é “endereço” [masculino singular]. O pronome CUJO concordou com o último termo, percebeu?

Quando se escreve essa frase, a pessoa quer dizer: A casa tem um endereço desconhecido e essa casa era de MARIA. (Ideia de posse).

Obs.: Jamais escreva ARTIGO ou PREPOSIÇÃO depois do pronome relativo CUJO/A.

É isso aí!

Prof. Silvio Augusto

Categoria: Política

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*