Geraldo Jr

5
dez

STF AFASTA RENAN CALHEIROS DO CARGO DE PRESIDENTE DO SENADO

renan_senado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio decidiu nesta segunda-feira (5) afastar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do cargo da presidente. O ministro atendeu a um pedido liminar feito pela  Rede Sustentabilidade.

O pedido de afastamento foi feito pelo partido após a decisão proferida pela Corte na semana passada, que tornou Renan réu pelo crime de peculato. De acordo com a legenda, a liminar era urgente porque o recesso no Supremo começa no dia 19 de dezembro, e Renan deixará a presidência no dia 1º de fevereiro do ano que vem, quando a Corte retorna ao trabalho.

Julgamento

No mês passado, a Corte começou a julgar a ação na qual a Rede pede que o Supremo declare que réus não podem fazer parte da linha sucessória da Presidência da República. Até o momento, há maioria de seis votos pelo impedimento, mas o julgamento não foi encerrado em função de um pedido de vista do ministro Dias Toffoli.

Até o momento, votaram a favor de que réus não possam ocupar a linha sucessória o relator, ministro Marco Aurélio, e os ministros Edson Fachin, Teori Zavascki, Rosa Weber, Luiz Fux e Celso de Mello.

Em nota divulgada na sexta-feira (2), o gabinete de Toffoli informou que o ministro tem até o dia 21 de dezembro para liberar o voto-vista, data na qual a Corte estará em recesso.

“Defiro a liminar pleiteada. Faço-o para afastar não do exercício do mandato de Senador, outorgado pelo povo alagoano, mas do cargo de Presidente do Senado o senador Renan Calheiros”, decidiu o ministro.

5
dez

DEPUTADO ÁLVARO DIAS PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA EM CAICÓ

get_archive-phpO deputado estadual Álvaro Dias participou nesta segunda-feira (05/12) de audiência pública na Câmara Municipal de Caicó. A reunião teve o objetivo de discutir a situação da segurança e da saúde pública no município. Questões como UTI neonatal, abastecimento do Hospital Regional do Seridó e o número crescente da violência em Caicó foram debatidos no encontro. Além do deputado Álvaro Dias, participaram da audiência o secretário estadual de saúde, George Antunes, do secretário de segurança, Caio César.

“Achei muito importante a reunião principalmente pela presença dos secretários aqui em Caicó. No caso da saúde, sobretudo, o secretário Dr. George Antunes sempre teve um posicionamento muito técnico e ele está consciente do desabastecimento do hospital e de algumas medidas que precisam ser tomadas. Acima de tudo, ele está consciente de que essa situação não pode se repetir, principalmente com pacientes comprando medicamentos e até alimentos. Ele se comprometeu a resolver o problema e eu espero que essa reunião possa render frutos e a situação possa melhorar”, disse o deputado.

Sobre a situação da segurança pública, Álvaro enfatizou o crescente número da violência tanto em Caicó quanto no RN. “Tanto saúde quanto segurança tem se agravado ainda mais na atual administração do Governo do Estado. Aqui hoje em Caicó discutimos exaustivamente a violência que tem se agravado em Caicó e no Estado. Estamos preocupados e também ouvimos do secretário Caio César a garantia de que a situação será normalizada. Esperamos que possamos restabelecer a paz que é característica do município de Caicó”, enfatizou Álvaro.

5
dez

INICIADA VENDA DE INGRESSOS PARA O ANIVERSÁRIO DO PULSAÇÃO COM JONAS, BRASAS E RAYNEL

O evento comemora os nove anos do Pulsação

O evento comemora os nove anos do Pulsação

Começou hoje (05) a venda de ingressos para Niver do Pulsação com Brasas do Forró, Jonas Esticado e Raynel & SooMii.

Em Currais Novos os ingressos estão sendo vendidos na Rede Mais (em até 2X cartão) e Saint Prime (dinheiro).

ESTUDANTE: R$ 25,00
CASADINHA: R$ 70,00 (02 ingressos).

A festa, que comemora os nove anos do Pulsação, acontecerá no próximo dia 17 no Espaço Du Rei.

5
dez

‘OU A DEMOCRACIA OU A GUERRA’, DIZ PRESIDENTE DO STF CÁRMEN LÚCIA, SOBRE CRISE ENTRE JUDICIÁRIO E LEGISLATIVO

carmen05

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármem Lúcia participa do 10º Encontro Nacional do Poder Judiciário – Jorge William / O Globo

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, afirmou na manhã desta segunda-feira, em evento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que o país vive um momento particularmente grave e que o Judiciário precisa dar respostas à sociedade. A ministra foi responsável por abrir os trabalhos do 10º Encontro Nacional do Poder Judiciário, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que também preside.

— É preciso estarmos atentos ao que o Brasil espera de nós e o que fazer para atender essas demandas. Qualquer servidor público atua para atender à população. Julgamos conflitos na sociedade e vivemos um momento particularmente grave — disse a ministra.

Cármen Lúcia afirmou que é preciso agir para que a sociedade não desacredite no Estado, que é a opção única colocada.

— Ou a democracia ou a guerra — disse.

Nesta segunda-feira, O GLOBO revelou que o presidente Michel Temer recebeu no domingo passado um “apelo institucional” da presidente do Supremo para que transmitisse ao Poder Legislativo a solicitação de que não discutisse, nem votasse, o projeto que torna crime o abuso de autoridade de juízes e membros do Ministério Público, porque isso poderia gerar uma grave crise entre os Poderes, com consequências imprevisíveis. Temer procurou no mesmo dia o presidente do Senado, Renan Calheiros, que, no entanto, manteve-se irredutível.

Na semana passada, a ministra criticou o projeto de lei que prevê punições para juízes por crime de abuso de autoridade. Cármen defendeu os magistrados e disse que a categoria tem sido alvo de cerceamento. O projeto é de autoria do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e deve ser votado em plenário até o final do ano.

A ministra também afirmou que existe uma tentativa de enfraquecer o Judiciário:

— Desconstruir-nos como Poder Judiciário ou como juízes independentes interessa a quem? Enfraquecer-nos objetiva o quê?

Cármen Lúcia defendeu que os juízes trabalhem com imparcialidade, sem medo de qualquer punição pela atividade exercida.

O Globo

5
dez

ASSEMBLEIA VAI HOMENAGEAR MÉDICOS DA CAPITAL E DO INTERIOR NESTA TERÇA-FEIRA

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), vai promover, nesta terça-feira (6), às 9h, no Plenário da Casa, uma sessão solene em homenagem aos médicos potiguares. A solenidade faz alusão ao Dia do Médico, comemorado no último dia 18 de outubro.

Para representar os médicos com atuações na capital e no interior, serão homenageados 10 especialistas de diversas áreas. O presidente da Sociedade de Cirurgia, Cabeça e Pescoço do RN, Fernando José de Paiva; a ginecologista Ivete Matias Xavier; o ultrassonografista Kelvin Jácome Silvestre; o cirurgião geral Kerginaldo Jácome da Costa Filho; a diretora geral do Hospital Walfredo Gurgel, Maria de Fátima Pereira Pinheiro; o oncologista Ricardo José Curioso da Silva; o ortopedista Tiago de Medeiros Almeida; o cirurgião pediátrico Zita de Souza Rocha; o otorrino Pedro Cavalcanti; e o oftalmologista Luíz Gonzaga Monte, Montinho (In memoriam).

5
dez

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA VAI DEBATER AVANÇO DO AEDES AEGYPTI NO ESTADO

A Assembleia Legislativa promove, na próxima quarta-feira (7), audiência pública para discutir o tema “O avanço do aedes aegypti e as dificuldades de atuação dos Agentes de Saúde e Endemias”. O debate, proposto pela deputada Márcia Maia (PSDB), acontece no auditório da Casa Legislativa, à partir das 14h.

O último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) aponta em 2016 um aumento de 134% no número de casos suspeitos notificados de dengue em relação ao ano passado. Este ano foram notificados 62.773 casos suspeitos contra os 26.808 em 2015.  Do total de casos notificados este ano, 9.500 foram confirmados, causando 10 mortes por dengue grave.

Em relação a Chikungunya, foram notificados este ano 25.542 casos, sendo 7.167 confirmados. Quanto à Zika, foram notificados 5.641 casos suspeitos em 2016, dos quais 160 foram confirmados.

“Os dados são preocupantes. Por isso, precisamos discutir e implementar ações conjuntas entre os gestores de Saúde municipais e estaduais, além da colaboração e conscientização da população, pois os casos de dengue vêm crescendo e fazendo mais vítimas a cada ano”, justifica Márcia Maia.

5
dez

OS 6 ERROS MAIS COMUNS EM TREINOS INTERVALADOS

treino-intervalado-erros

Evite falhas ao fazer a atividade que é fundamental para o ganho de velocidade na corrida

Essenciais na planilha de qualquer corredor, os treinos intervalados viraram xodó da maioria das pessoas que fazem exercícios. E há vários motivos para isso. Além de ajudar a ganhar velocidade e melhor seu tempo na corrida, a atividade é curta, proporciona alto gasto calórico, ajuda a detonar gordura e por aí vai… Mas, para que o treino intervalado (ou de tiros, como é popularmente chamado) seja realmente eficiente você deve evitar estes erros que prejudicam a qualidade do exercício e podem até causar lesão.

1 – Não fazer um bom aquecimento
Esse é um erro em qualquer tipo de atividade, pois o aquecimento preparara o organismo para o esforço (melhorando a performance e reduzindo o risco de contusão). “Nos intervalados, ele se torna ainda mais importante, já que o treino é bastante exigente e você vai correr em uma velocidade maior do que a habitual”, afirma Julio Dotti, educador físico e diretor técnico da assessoria esportiva Limite Team, em São Paulo. “Se não aquecer direito, a possibilidade de lesão é grande, principalmente muscular.”

Um exemplo de bom aquecimento antes de um treino intervalado: corra 10 min em ritmo bem leve. Depois, faça cerca de 5 séries de 100 m com aceleração progressiva (comece leve e termine forte), intercalando trotes de 100 metros entre elas.

2 – Variar demais o ritmo
É comum ver atletas que aceleram demais nas primeiras séries e não têm fôlego para manter o pace nas últimas. “Um dos objetivos do treino intervalado é adaptar o corpo a correr em uma velocidade maior. Se você diminuir demais o ritmo, não fará isso e os ganhos da atividade serão reduzidos”, explica Dotti. Por isso, realize todos os “tiros” na mesma velocidade, ficando sempre entre 90% a 95% da frequência cardíaca máxima.

Outra coisa importante é tentar manter o mesmo pace a série toda. Se for fazer 10x 400 m num ritmo de 5 min/km, não adianta correr 200 m a 4 min/km e 200 m a 6 min/km. Assim, mesmo que a média tenha sido a programada, seu organismo só foi obrigado a ficar em uma velocidade maior do que está acostumado por metade da série.

3 – Não respeitar o descanso
Seu treinador planeja o intervalo de acordo com o tempo ou distância das séries. Se a pausa for maior do que a indicada na planilha, o estímulo da atividade vai mudar e seus ganhos serão reduzidos. Fazer um intervalo menor do que o programado também é prejudicial, pois seu corpo pode não se recuperar. Com isso, o ritmo tende a cair nas próximas séries. Mais: “Você não deve trotar ou caminhar quando o recomendado é uma parada total. Ao fazer isso, você acabará realizando outro tipo de treino”, diz Dotti.

4 – Correr em um percurso muito variado
O ideal é fazer o intervalado em um trajeto praticamente plano – se puder ser em uma pista de atletismo, melhor ainda. Motivo: quando o local de treino tem muitas subidas e descidas, o nível de esforço dos “tiros” é diferente. Claro que há exceção. “Caso a volta no percurso tenha exatamente a mesma distância das séries, tudo bem existir subidas e descidas.”

5 – Treinar em jejum
Hoje em dia, muitos especialistas já defendem que não há problema algum em fazer exercícios sem se alimentar. Não vamos entrar em polêmicas… Ocorre que, em atividades muito intensas, a demanda energética é alta e o principal combustível do nosso organismo é o glicogênio. Como o estoque dessa substância no corpo é pequeno, ela se esgotará rapidamente se você não fizer uma refeição pré-treino. Resultado: além de queda na performance, você pode passar mal, sentir tontura e até desmaiar.

6 – Treinar em dias seguidos
Seus músculos demoram de 48 a 72 horas para se recuperar completamente de exercícios de alta intensidade. “Se não respeitar esse período antes de fazer o próximo treino intervalado, o risco de lesão é grande”, alerta Julio Dotti, diretor técnico da assessoria esportiva Limite Team. Após uma atividade em ritmo forte, você deve ter um dia de descanso total ou executar um treino regenerativo. Vale lembrar que, por mais que o treino intervalado contribua para o ganho de velocidade, a maioria dos corredores amadores não deve realizá-lo mais de uma ou duas vezes por semana. Afinal, para evoluir no esporte, você precisa de um programa de treino bem montando, que também contemple treinos longos, de ritmo, de força etc.

5
dez

ODEBRECHT DEVE ATINGIR TEMER E SETE MINISTROS

marcelo ode

As perspectivas do que vem por aí com as delações da Odebrecht assombram o Planalto. As afirmações dos cerca de 70 executivos do grupo devem atingir pelo menos sete ministros. O próprio Michel Temer, aliás, deverá ser citado por Marcelo Odebrecht e pelo menos mais dois ex-executivos da empreiteira, por doações eleitorais negociadas diretamente por ele. As informações são da coluna de Vera Magalhães no Estado de S.Paulo.

“Temer já conhece os nomes que devem aparecer na “delação das delações”. Há quem aconselhe uma ação profilática, com o afastamento de ministros antes da homologação dos acordos. Mas a tendência do presidente é agir como tem feito em casos semelhantes: aguardar o auxiliar se enforcar, para só então descartá-lo. O problema é que, a depender do estrago no coração do governo, não haverá biombo no Congresso que impeça que as ruas se voltem na sua direção.

5
dez

RENAN CALHEIROS RECUSOU APELO DO STF ENVIADO POR TEMER

O presidente Michel Temer recebeu no domingo passado um “apelo institucional” da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, para que transmitisse ao Poder Legislativo a solicitação de que não discutisse, nem votasse, o projeto que torna crime o abuso de autoridade de juízes e membros do Ministério Público, porque isso poderia gerar uma grave crise entre os Poderes, com consequências imprevisíveis. Temer procurou no mesmo dia o presidente do Senado, Renan Calheiros, que, no entanto, manteve-se irredutível.

— O senador Renan Calheiros e alguns parlamentares, aos quais transmiti esse apelo, apresentaram fortes argumentos para que a matéria não fosse retirada da pauta. Eu tinha dito a eles que endossava totalmente as preocupações da presidente Cármen Lúcia. Mas eles, em função de seus argumentos, mantiveram-se irredutíveis — disse o presidente ontem ao GLOBO.

2
dez

HERMANO APRESENTA PROJETO PARA REGULAMENTAR PRODUÇÃO DE QUEIJOS NO RN

O deputado estadual Hermano Morais (PMDB) apresentou projeto de lei visando regulamentar a produção e comercialização de queijos artesanais no Rio Grande do Norte. A proposta, que tramita nas comissões técnicas da Assembleia Legislativa, tem o objetivo de garantir o controle de qualidade dos produtos e higiene durante a produção, além de contribuir para a qualificação dos queijos a fim de que sejam comercializados em outros mercados.

“O queijo artesanal integra uma importante característica histórica e cultural do Estado, especialmente pela habitualidade do consumo e produção. A modernização e definição das condições de fiscalização são imperiosas para dar segurança jurídica aos investidores do setor, notabilizada pela dificuldade em apurar a produção clandestina e sem os devidos padrões de higiene”, justifica Hermano.

Na proposta de Hermano Morais, são considerados queijos artesanais os produzidos com leite integral, fresco ou cru, em propriedade que mantenha criação de rebanho leiteiro. Os produtos devem ser queijo de coalho, queijo de manteiga e requeijão artesanal. A proposta visa a garantia de padrões na produção.

O projeto define que o leite utilizado na produção deve ser de rebanho sadio e que seja criado em local adequado. Na área de produção dos queijos, o projeto obriga que a queijaria disponha de áreas para armazenagem do leite, fabricação e maturação do produto, além de um local adequado para a embalagem e expedição. As instalações da queijaria, inclusive, devem estar distantes de galinheiros ou pocilgas, assim como deve possuir cerca limitando acesso de animais e pessoas ao local.

Outras normas previstas na proposta de Hermano dizem respeito às condições sanitárias das queijarias, materiais utilizados nas instalações, água disponível e condições para comercialização. Os queijos produzidos dentro dos padrões, caso o projeto se torne lei, terão selos de inspeção garantindo a qualidade dos produtos.

Na opinião do deputado, com a aprovação do projeto, haverá um ganho para a economia do Rio Grande do Norte. “A criação de uma legislação específica para os critérios de produção e fiscalização no setor atende um anseio dos produtores, visando qualificar os produtos para alcançarem novos mercados. As empresas que fabricam queijo registram um importante crescimento, requerendo maior atenção à regulamentação na atividade para dar segurança aos consumidores e produtores”, explica o deputado.

2
dez

COMO COMBINAR CORRIDA E MUSCULAÇÃO

como combinar corrida e musculac?a?o

Ajuste os treinos das duas modalidades para obter melhor melhores resultados e prevenir lesões

Na metade da década de 1980, quando eu tinha seis ou sete anos de idade, as academias de musculação eram locais proibidos para crianças. Quando digo proibido, não estou me referindo só a não poder usar os aparelhos para treinar. Eu  não tinha permissão nem para olhar para um lugar desses. Meus pais me alertavam que aquilo era coisa só de adulto. Por isso, acabei criando em minha mente que academia era um espaço em que muitas coisas ruins poderiam acontecer.

Naquela época, existiam dois grupos de pessoas que treinavam: os que pegavam peso e os que faziam exercício aeróbico. Eles não se misturavam e cada um realizava somente seu tipo de treino. Isso acabava prejudicando o rendimento em muitos esportes. Basta comparar um jogo de vôlei masculino no começo da década de 1980 com um de hoje. Parecem duas modalidades diferentes. O jogadores atuais possuem muito mais força, potência, explosão, velocidade, agilidade e resistência. Como evoluíram tanto? Combinando treinos técnicos (de vôlei) com exercícios aeróbicos e musculação. Dessa forma, além de ganhar desempenho, sofrem menos lesões.

Corrida x musculação
Atualmente, é impossível imaginar um atleta de qualquer modalidade que não faça trabalhos complementares para ganhar força, explosão e/ou resistência aeróbica. Para os corredores não é diferente. A musculação tornou-se fundamental. Ela evita que você se machuque e melhora a performance na pista. Associada à exercícios de propriocepção, o resultado torna-se ainda melhor. Mas como combinar os dois tipos de treino?

O ideal é executá-los com pelo menos seis horas de intervalo. Isso porque, além da questão física (cansaço por fazer duas atividades juntas), existe a hormonal. A corrida estimula a síntese de cortisol (que é catabólico e atrapalha o crescimento muscular). Já a musculação estimula a produção de GH e testosterona (substâncias anabólicas, que estimulam a construção celular). Ou seja, se você fizer uma atividade logo em seguida da outro, acabará reduzindo os benefícios do treino.

Drible a falta de tempo
Eu sei que nem todo mundo consegue correr e fazer musculação em dias separados. Se esse for seu caso, uma boa saída e malhar apenas a parte superior do corpo nos dias de corrida e treinar pernas separadamente. É impossível dividir as atividades? Então, sua modalidade principal deve ser sempre realizada primeiro. Se seu objetivo é se tornar um corredor melhor, comece o treino pela corrida e depois vá para a musculação. Agora, se sua meta é ganhar massa, força ou potência muscular, inicie a atividade física pela musculação e deixe para o final o exercício aeróbico, que deve ter intensidade e volume reduzidos para minimizar o catabolismo (perda de massa magra).

*Dr. Fellipe Savioli é ortopedista, especialista em medicina esportiva, fellow (membro) da Steadman-Hawkins Clinic, no Colorado (EUA) e triatleta.

benner-carnatal

2
dez

JOAQUIM BARBOSA CRITICA O IMPEACHMENT, DETONA O CONGRESSO E NÃO ACREDITA QUE TEMER GOVERNARÁ ATÉ O FIM DO MANDATO

Primeiro foram os esotéricos.

Videntes e tarólogos vêm prevendo há tempos que o presidente Michel Temer não concluirá seu mandato tampão no Governo.

Agora quem faz a previsão é Joaquim Barbosa, o polêmico ex-presidente do Supremo Tribunal Federal.

Está na Folha de hoje:

Para Joaquim Barbosa, governo Temer corre o risco de não chegar ao fim

MÔNICA BERGAMO

COLUNISTA DA FOLHA

O ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Joaquim Barbosa assistiu praticamente em silêncio ao impeachment de Dilma Rousseff e aos principais fatos políticos deste ano no Brasil.

Depois de quase um ano sem dar entrevistas, Barbosa, que montou escritório em São Paulo e hoje dá palestras e faz pareceres jurídicos, recebeu a Folha no apartamento de dois quartos que alugou na cidade.

Para o ex-ministro, que comandou o julgamento do mensalão, o impeachment foi “uma encenação” que fez o país retroceder a um “passado no qual éramos considerados uma República de Bananas”. Barbosa acha que o governo de Michel Temer corre o risco de não chegar ao fim.

Folha – O senhor escreveu há alguns meses em sua conta no Twitter que o afastamento de Dilma Rousseff foi um “impeachment Tabajara”. Por quê?

Joaquim Barbosa – Tabajara porque aquilo foi uma encenação. Todos os passos já estavam planejados desde 2015. Aqueles ritos ali [no Congresso] foram cumpridos apenas formalmente.

O que houve foi que um grupo de políticos que supostamente davam apoio ao governo num determinado momento decidiu que iriam destituir a presidente. O resto foi pura encenação. Os argumentos da defesa não eram levados em consideração, nada era pesado e examinado sob uma ótica dialética.

Folha – O que sustentava esse grupo? Porque dez pessoas apenas não fazem um impeachment.

Era um grupo de líderes em manobras parlamentares que têm um modo de agir sorrateiro. Agem às sobras. E num determinado momento decidiram [derrubar Dilma].

Acuados por acusações graves, eles tinham uma motivação espúria: impedir a investigação de crimes por eles praticados. Essa encenação toda foi um véu que se criou para encobrir a real motivação, que continua válida.

O senhor acha que ainda há risco para as investigações que estão em curso?

Há, sim, porque a sociedade brasileira ainda não acordou para a fragilidade institucional que se criou quando se mexeu num pilar fundamental do nosso sistema de governo, que é a Presidência. Uma das consequências mais graves de todo esse processo foi o seu enfraquecimento. Aquelas lideranças da sociedade que apoiaram com vigor, muitas vezes com ódio, um ato grave como é o impeachment não tinham clareza da desestabilização estrutural que ele provoca.

O impeachment foi um golpe?

Não digo que foi um golpe. Eu digo que as formalidades externas foram observadas –mas eram só formalidades.

O impeachment não teve o apoio de setores econômicos?

A partir de um determinado momento, sob o pretexto de se trazer estabilidade, a elite econômica passou a apoiar, aderiu. Mas a motivação inicial é muito clara.

E qual é o problema do enfraquecimento da Presidência?

No momento em que você mina esse pilar central, todo o resto passa a sofrer desse desequilíbrio estrutural. Todas as teorias dos últimos 30 anos, de hipertrofia da Presidência, de seu poder quase imperial, foram por água abaixo. A facilidade com que se destituiu um presidente desmentiu todas essas teses.

No momento em que o Congresso entra em conluio com o vice para derrubar um presidente da República, com toda uma estrutura de poder que se une não para exercer controles constitucionais mas sim para reunir em suas mãos a totalidade do poder, nasce o que eu chamo de desequilíbrio estrutural.

Essa desestabilização empoderou essa gente numa Presidência sem legitimidade unida a um Congresso com motivações espúrias. E esse grupo se sente legitimado a praticar as maiores barbáries institucionais contra o país.

Durante alguns meses, em palestras, eu indagava à plateia: vocês acham que, concluído o impeachment, numa democracia dessa dimensão, o país sobreviverá por dois anos e meio à turbulência política que se seguirá?

E qual é a sua resposta?

Nós continuaremos em turbulência. Isso só vai acabar no dia em que o Brasil tiver um presidente legitimado pela soberania popular. Aceito de forma consensual, límpida, tranquila, pela grande maioria da população.

O sr. já disse que talvez o governo não chegue ao fim.

Corre o risco. É tão artificial essa situação criada pelo impeachment que eu acho, sinceramente, que esse governo não resistiria a uma série de grandes manifestações.

Que outros problemas o senhor vê no governo?

Os cientistas políticos consolidaram o pensamento de que o presidente depende do Congresso para governar. E não é nada disso. Uma das características da boa Presidência é a comunicação que o presidente tem diretamente com a nação, e não com o Congresso. Ele governa em função da legitimidade, da liderança, da expressão da sua vontade e da sua sintonia com o povo. Dilma não tinha nenhum desses atributos.

Aí ela foi substituída por alguém que também não os têm, mas que acha que está legitimado pelo fato de ter o apoio de um grupo de parlamentares vistos pela população com alto grau de suspeição. Ele [Temer] acha que vai se legitimar. Mas não vai. Não vai. Esse malaise [mal estar] institucional vai perdurar durante os próximos dois anos.

E na área econômica?

O Brasil deu um passo para trás gigantesco em 2016. As instituições democráticas vinham se fortalecendo de maneira consistente nos últimos 30 anos. O Brasil nunca tinha vivido um período tão longo de estabilidade.

E houve uma interrupção brutal desse processo virtuoso. Essa é a grande perda. O Brasil de certa forma entra num processo de “rebananização”. É como se o país estivesse reatando com um passado no qual éramos considerados uma República de Bananas. Isso é muito claro. Basta ver o olhar que o mundo lança sobre o Brasil hoje.

E qual é ele?

É um olhar de desdém. Os países centrais olham para as instituições brasileiras com suspeição. Os países em desenvolvimento, se não hostilizam, querem certa distância. O Brasil se tornou um anão político na sua região, onde deveria exercer liderança. É esse trunfo que o país está perdendo.

Isso é recuperável?

No dia em que a sociedade despertar e restaurar a Presidência através de uma eleição em que se escolha alguém que representa os anseios da nação, isso limpa esse “malaise”, essa perda dos grandes trunfos.

O que o senhor achou da aprovação da lei de abuso de autoridade na Câmara?

Tudo o que está acontecendo esta semana no Congresso é desdobramento do controvertido processo de impeachment, cujas motivações reais eram espúrias.

Ou seja: a partir do momento em que se aceitou como natural o torpedeamento do pilar central do sistema presidencialista, abriu-se caminho para o enfraquecimento de outras instituições.

A lógica é a seguinte: se eu posso derrubar um chefe de Estado, por que não posso intimidar e encurralar juízes? Poucos intuíram –ou fingiram não intuir– que o que ocorreu no Brasil de abril a agosto de 2016 resultaria no deslocamento do centro de gravidade da política nacional, isto é, na emasculação da presidência da República e do Poder Judiciário e no artificial robustecimento dos membros do Legislativo.

Tudo isso pode ainda ser revertido pelo Senado, pelo veto presidencial ou pelo STF. O importante neste momento é que cada um faça uma boa reflexão e assuma a sua parcela de culpa pela baderna institucional que está tomando conta do país.

E as medidas de combate à corrupção apresentadas pelo Ministério Público Federal e alteradas na Câmara?

Eu tenho resistência a algumas das propostas, como legitimação de provas obtidas ilegalmente. E o momento [de apresentá-las] foi inoportuno. Deu oportunidade a esse grupo hegemônico de motivação espúria de tentar introduzir [na proposta] medidas que o beneficiassem.

O que o sr. acha da Lava Jato?

Eu acompanho a Lava Jato muito à distância, pela imprensa. Para mim é a Justiça que está dando toda a aparência de estar funcionando.

O que o senhor acha da hipótese de Lula ser preso?

Eu nunca li, nunca me debrucei sobre essas acusações.

Sei que há uma mobilização, um desejo, uma fúria para ver o Lula condenado e preso antes de ser sequer julgado. E há uma repercussão clara disso nos meios de comunicação. Há um esforço nesse sentido. Mas isso não me impressiona. Há um olhar muito negativo do mundo sobre o Brasil hoje. Uma prisão sem fundamento de um ex-presidente com o peso e a história do Lula só tornaria esse olhar ainda mais negativo. Teria que ser algo incontestável.

Para finalizar: o senhor continua na posição de não ser candidato a presidente?

Eu continuo. Seria uma aventura muito grande eu me lançar na política, pelo meu temperamento, pelo meu isolamento pessoal, pelo meu estilo de vida. Eu não tenho por trás de mim nenhuma estrutura econômica, de comunicação. Nem penso em ter.

2
dez

DEPUTADO ÁLVARO DIAS COBRA PERMANÊNCIA DA UTI PEDIÁTRICA, EM CAICÓ

get_archive.phpO deputado estadual e vice-prefeito de Natal, Álvaro Dias, cobrou nesta quinta-feira (01) a permanência dos equipamentos da UTI pediátrica em Caicó. Recentemente, o Governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Saúde Pública, retirou do Hospital do Seridó, em Caicó, os equipamentos que só aguardavam instalação, para funcionamento de leitos de UTI infantil. Todo o material foi transferido para o Hospital Dr. Mariano Coelho, em Currais Novos, onde serão instalados 10 leitos de UTI Neonatal. Álvaro Dias cobra o retorno e a permanência dos equipamentos em Caicó, bem como as condições para instalação.

“A saúde pública na cidade de Caicó, não tem funcionado, principalmente no Hospital Regional do Seridó. Agora se agrava com a questão da UTI neonatal que está saindo de Caicó. É preciso que o governador possa dar uma resposta satisfatória à população caicoense. O que temos visto é que no atual governo, tudo tem piorado, sobretudo em setores essenciais como saúde e segurança”, disse Álvaro.

Ele destacou ainda a questão da falta de medicamentos no hospital regional. “A situação do hospital regional é bastante preocupante e nós temos denunciado frequentemente na Assembleia Legislativa. Tivemos uma audiência pública em Caicó, com o ex secretário Ricardo Lagreca, no início dessa gestão, exatamente sobre o desabastecimento do hospital. Porém, de um tempo pra cá, a situação tem se agravado ainda mais. Cobramos, temos insistido e vamos continuar cobrando melhorias do Governo do Estado para Caicó”, finalizou.

1
dez

*CURRAIS NOVOS RECEBE O SELO UNICEF *

dsc06195Nesta sexta-feira (02), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) entregará o Selo UNICEF Município Aprovado, edição 2013-2016 a Currais Novos, e mais 49 municípios do Rio Grande do Norte, em reconhecimento internacional por seus avanços nas áreas de Saúde, Educação, Proteção e Participação Social em direção à redução das desigualdades que afetam as

vidas de crianças e adolescentes.

A solenidade acontecerá na Escola de Governo, em Natal, contando com a presença do governador Robinson Faria.

Legado

“Será um momento de muita felicidade, receber essa distinção, que é a reconquista do Selo UNICEF para Currais Novos. Dentre tantas coisas que pudemos realizar, fica este legado importante, que coroa de pleno êxito, comprovando os avanços das áreas de Saúde, Educação e Assistência Social, com a colaboração de todos os que fazem a gestão”, disse o prefeito Vilton

Cunha.

O evento faz parte do encerramento da edição do Selo UNICEF Município Aprovado no Semiárido, que acontece entre 1º e 19 de dezembro em dez estados do país.

1
dez

KELPS SOLICITA PERFURAÇÃO DE POÇOS E OBRAS EM ESCOLAS NO INTERIOR DO RN

O deputado Kelps Lima (Solidariedade) encaminhou requerimento ao Governo do Estado solicitando ações de educação e abastecimento hídrico para cidades do interior do Rio Grande do Norte. Os pleitos do parlamentar foram apresentados à mesa diretora da Assembleia Legislativa e direcionados aos órgãos estaduais competentes.

Na área de abastecimento de água, Kelps ressalta a necessidade de ações para a comunidade de Coqueiros, no município de Ceará-Mirim, e de Sítio Torrões, em Assu. O deputado cobra a perfuração de poços tubulares nos locais para amenizar os problemas da estiagem.

“A constante falta de água nas citadas comunidades vem trazendo sérios prejuízos para a população que necessita urgentemente da regularização do abastecimento d’água”, justifica Kelps.

Já na área da educação, o deputado solicita a reforma da escola estadual Tabelião Julio Maria, em Touros. De acordo com o parlamentar, a unidade de ensino encontra-se em situação precária, “dificultando o aprendizado e bem estar de alunos e servidores”, observa o parlamentar.

Além da reforma, Kelps também pede ao Governo que proceda a construção de uma escola no bairro de Passagem de Areia, em Parnamirim. No requerimento, o parlamentar relata que a localidade carece de uma unidade de ensino e que os estudantes são obrigados a buscar escolas em outros bairros.

“A construção de uma escola estadual é de suma importância, pois o bairro de Passagem de Areia possui uma população de aproximadamente 30 mil habitantes e os estudantes precisam se deslocar para outros bairros distantes para poderem estudar”, ressalta ele.

benner-carnatal
1
dez

ÁLVARO DIAS PEDE PROVIDÊNCIAS PARA RETOMADA DE OBRAS DA BARRAGEM DE OITICICA

Diante da situação de completa falta de água na cidade de Caicó e outros municípios da região Seridó, o deputado Álvaro Dias (PMDB) fez apelo para que o Governo do Estado pague a contrapartida necessária para a liberação de recursos. O pagamento permitirá a retomada das obras de construção da Barragem de Oiticica. Segundo o parlamentar o Estado precisa pagar R$ 400 mil para que o Governo Federal libere recursos na ordem de R$ 8 milhões.

“Caicó está sem água. Está vivendo uma situação dificílima. A cidade teve o abastecimento totalmente interrompido por oito dias. Os órgãos fiscalizadores não fizeram o seu trabalho e barragens ilegais foram construídas evitando que a água chegasse ao local de captação. Por isso a urgência para a Barragem de Oiticica”, destacou.
Ainda em pronunciamento feito no final da manhã desta quarta-feira (30) o deputado chamou atenção para a necessidade de adoção de medidas austeras para o enfrentamento da crise enfrentada pelo país. “Recentemente houve uma mudança no nosso país e essa mudança provocará medidas duras e austeras para que possa conter e debelar crise nacional que é uma situação que não se pode tergiversar”, disse.

1
dez

EZEQUIEL FERREIRA REQUER BENEFÍCIOS PARA MUNICÍPIO DE CAMPO REDONDO

ezequiel1

O município de Campo Redondo, no Trairi potiguar, encabeça a lista dos requerimentos encaminhados pelo deputado Ezequiel Ferreira (PSDB) ao Governo do Estado. O presidente da Assembleia Legislativa está solicitando ações nas áreas da segurança pública, educação, infraestrutura urbana, recursos hídricos e desenvolvimento econômico.

A aquisição de uma viatura policial para o município é um dos pleitos do parlamentar. De acordo com Ezequiel, a cidade está com déficit de viaturas para atender a demanda da zona urbana e comunidades rurais, tornando o município vulnerável diante das práticas criminosas. “É uma solicitação de grande expectativa e anseio da população para conter a criminalidade crescente em Campo Redondo”, justifica ele.

Para a melhoria da infraestrutura urbana do município, o deputado apresentou requerimento sugerindo que seja celebrado convênio entre a prefeitura local e o Governo do Estado para viabilizar a pavimentação e drenagem de ruas. “A ausência de investimentos nesses setores prejudicam e dificultam o tráfego e o acesso dos moradores. Essas ações contribuem para a valorização dos imóveis e integração da comunidade, melhorando assim a qualidade de vida da população”, avalia Ezequiel.

1
dez

PRAZOS PROCESSUAIS E AUDIÊNCIAS NA JUSTIÇA ESTADUAL FICAM SUSPENSOS

O Pleno do Tribunal de Justiça do RN editou resolução suspendendo os prazos processuais e audiências na Justiça Estadual, no âmbito da primeira e segunda instâncias, no período de 20 de dezembro de 2016 a 20 de janeiro de 2017.

No mesmo período não serão realizadas sessões de julgamento, conforme Resolução nº 244 do Conselho Nacional de Justiça, ressalvadas as audiências de custódia, os atos processuais relacionados aos casos previstos nos artigos 214 e 215 da Lei nº 13.105/2015 e atos necessários à preservação de direitos e de natureza urgente.

De acordo com a Resolução nº 28/2016, publicada na edição do Diário da Justiça Eletrônico (DJe) de 30 de novembro, haverá publicação regular de acórdãos, sentenças, decisões, editais de intimação e outras matérias de caráter judicial no DJe – ressalvado o período do recesso judiciário que vai de 20 de dezembro a 6 de janeiro.

benner-carnatal

1
dez

INVESTIGADOS NA LAVA-JATO VOTARAM EM PESO CONTRA MEDIDAS ANTICORRUPÇÃO

O Globo

O grupo de 28 deputados investigados no Supremo Tribunal Federal (STF) por suposto envolvimento na Lava-Jato votou em peso contra as medidas de combate à corrupção na madrugada de ontem no plenário da Câmara. Eles contribuíram para a derrota do relatório de Onyx Lorenzoni (DEM-RS) nas 12 votações em separado de trechos do texto. A exclusão da figura do “reportante do bem” — que previa recompensa para quem denunciar casos de corrupção — contou com os votos de 24 desses parlamentares. Os outros quatro não votaram. Essa medida era a predileta do relator.

O quorum contra as ideias de Lorenzoni se manteve alto em outros pontos-chave da proposta: 21 foram favoráveis à criminalização de juízes e promotores por abuso de autoridade; 21 ajudaram a excluir do texto a criminalização do enriquecimento ilícito; 22 se manifestaram contra o confisco de bens provenientes da corrupção; e 21 se opuseram ao fortalecimento do Ministério Público nos acordos de leniência.

O relator tornou-se um opositor desses parlamentares desde que apoiou propostas dos procuradores da Lava-Jato e, na palavra de um deles, “deu as costas” para os colegas no debate sobre o assunto. Eles argumentam que sofrem pressões e que estão no noticiário desde março do ano passado, quando o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), abriu inquérito para investigá-los.

Page 1 of 543